18 julho 2010

Medo..

Acordou nesta manha totalmente vazia. Procurou no coração algum sentimento, mas era impossível.
Na noite anterior havia esvaziado toda a sua ira quando aos berros o mandara embora. Se enchera de dor. E durante a noite toda esvaziara esta dor derramando lágrimas.
Agora se encontrava vazia. Vazia e só. Olhou para sua imagem refletida no espelho, ainda deitada na cama e pensou no que faria.
A liberdade lhe abria os braços, mas não se sentia a vontade para seguir com ela.
Então percebeu que o medo começava a tomar conta do seu ser. E ele veio vindo tão apressadamente e incontrolável que em poucos minutos se sentia totalmente aterrorizada.O que faria agora?
Não aprendera a ser só, a se virar.
Não sabia como agir com tanto tempo para si mesma e esquecera de fazer planos para esta fase.
Foi se encolhendo e se escondendo debaixo das cobertas. O frio tomava conta do seu corpo. Um frio inexplicavel, vindo de dentro para fora. Sentia maos puxando-a para baixo e nao conseguia reagir. O silencio era gritante, a solidao sufocante. Se deixou ficar na inercia, gemendo e fugindo dos seus proprios pensamentos. Não sabe quanto tempo ficou assim, mas aos poucos foi reagindo.
Conseguiu se levantar. O sol estava a pino. Preparou um café forte. O cheiro e o calor a aqueceram. Foi ate a janela. Viu as pessoas indo e vindo. Percebeu que a vida continuava. E resolveu acompanha-la.

3 comentários:

Perto de Mim disse...

É bom acompanhar..

João Sobreira disse...

"A liberdade lhe abria os braços, mas não se sentia a vontade para seguir com ela."

É bom que mudemos essa perspectiva, não?
Ótimo texto, Millie.
Abraço,
João.

joao araujo disse...

concordo com João Sobreira.
Um abraço Millie

Enviar um comentário